Contra o Método: panorama geral das diferenças

contraMetodo

 Capa da publicação brasileira da terceira e definitiva edição de Contra o método. Tradução de Cezar Augusto Mortari, publicada pela Editora Unesp em 2007.

O trabalho da Oficina Contra o Método ainda não acabou, mas já temos uma visão geral das diferenças entre a primeira e a terceira edições, que serão aqui relatadas sem pormenores.

Para além dos prefácios e da introdução à edição chinesa, que acompanham a terceira edição, chama logo a atenção a retirada da singela dedicatória a Imre Lakatos que aparecia na primeira: “Para Imre Lakatos, amigo e colega anarquista”. É bem verdade que, no primeiro prefácio, Feyerabend conta uma história até mais detalhada de Contra o método (CM), que, como já sabíamos da primeira edição, trata-se de uma “carta” ferina a um amigo querido (Lakatos), de quem ele esperava réplica ainda mais ferina para que fizessem uma publicação conjunta. Infelizmente, Lakatos morreu antes de dar a resposta a essa missiva, daí o seu aparente descompasso, que acabou gerando polêmica, mal-entendidos e recepção enviesada. Feyerabend fala bastante sobre isso na sua autobiografia e desabafa: “Muitas vezes desejei nuca ter escrito a porra daquele livro.” (FEYERABEND, 1996, p. 155).

Mas voltando a ele, ou eles, já que estamos trabalhando aqui com duas edições de CM, quem compara os dois índices analíticos é levado a crer que nada mudou até o capítulo 7. No entanto, ao fazer a leitura cuidadosa de ambos os textos, percebemos que há pequenas alterações até o capítulo 3, cujo final foi totalmente reescrito, incluindo uma referência direta ao “professor Thomas Kuhn”. Quem leu a autobiografia do Feyerabend também se lembra da autocrítica que ele faz em relação a Kuhn: “meu espírito polêmico estendia-se mesmo a idéias semelhantes às minhas. Por exemplo, critiquei o manuscrito de Kuhn de sua Estrutura das revoluções científicas, que li em torno de 1960 de uma maneira bem antiquada.” (ibid., p. 149). Do capítulo 4 ao 7 encontramos pequenas e médias alterações.

Desde o início já se percebe o que vai se repetir até o fim: boa parte das mudanças diz respeito às notas de rodapé. Algumas desaparecem, outras são incluídas, reescritas ou absorvidas ao corpo do texto. Algumas aumentam, outras diminuem. Referências mais atuais são incluídas em alguns casos, outras que se tornaram repetitivas ou obsoletas são excluídas.

Os capítulos 8 e 16, e o apêndice 4 da primeira edição, que tratam diretamente da obra de Lakatos, foram retirados da terceira edição. O capítulo 18 (questões sobre ciência/mito, educação, separação ciência/Estado), bem como os apêndices 1 e 2 (algumas questões técnicas e teóricas sobre o caso Galileu) da primeira edição também tiveram o mesmo destino.

Os capítulos 8, 9, 10, 11 e 12 da terceira edição equivalem aos capítulos 9 a 13 da primeira, com pequenas e médias alterações.

Os capítulos 13 e 14 são novos, ainda sobre o caso Galileu (que começa a ser tratado no capítulo 6); o 15 equivale à junção dos capítulos 14 e 15 da primeira edição, com pequenas e médias alterações; o 16 equivale ao 17 da primeira, mas bastante reduzido (14 últimos parágrafos retirados e respectivas notas) e com novo parágrafo final; e os capítulos 17, 18, 19 e 20 são novos.

Na terceira edição só há dois apêndices, em vez dos cinco da primeira edição: um depois do capítulo 15, que equivale ao apêndice 3 da primeira edição; e outro depois do capítulo 16, que equivale ao apêndice 5 da primeira edição.

1ª. edição 3ª. edição Observações
Subtítulo do livro Retirado “Esboço de uma teoria anárquica da teoria do conhecimento”
Dedicatória a Lakatos Retirada “Para Imre Lakatos, amigo e colega anarquista”
Prefácio (sobre livro-carta a Lakatos) Aumentado em volume e conteúdo Também incluídos um prefácio à terceira edição e a introdução à edição chinesa
Índice Analítico Índice Analítico
Introdução e capítulos 1 a 7 Introdução e capítulos 1 a 7 Com pequenas e médias alterações, exceto o fim do capítulo 3, que foi totalmente reescrito, inclusive fazendo acerto de contas com Kuhn
Capítulo 8 Retirado Sobre Lakatos
Capítulo 9 Capítulo 8 Com pequenas e médias alterações
Capítulo 10 Capítulo 9 Com pequenas e médias alterações
Capítulo 11 Capítulo 10 Com pequenas e médias alterações
Capítulo 12 Capítulo 11 Com pequenas e médias alterações
Capítulo 13 Capítulo 12 Com pequenas e médias alterações
Capítulos 13 e 14 Capítulos novos sobre o caso Galileu (que começa no capítulo 6)
Capítulos 14 e 15 Capítulo 15 Com pequenas e médias alterações
Capítulo 16 Retirado Sobre Lakatos
Capítulo 17 Capítulo 16 Bastante reduzido (14 últimos parágrafos retirados e respectivas notas) e com novo parágrafo final
Capítulo 18 Retirado Questões sobre ciência/mito, educação, separação ciência/Estado
Capítulos 17, 18, 19, 20 e Pós-escrito sobre o relativismo Capítulos novos sobre racionalidade, tradições, democracia, relativismo, interacionismo
Apêndices 1 e 2 Retirados Questões técnicas e teóricas sobre o caso Galileu
Apêndices 3 e 5 Apêndices 1 e 2 Respectivamente depois dos capítulos 15 e 16
Apêndice 4 Retirado Sobre Lakatos

Referências:

FEYERABEND, Paul. Contra o método. 1ª. edição. Tradução de Octanny S. da Mota e Leonidas Hegenberg. RJ: Francisco Alves, 1989.

___. Contra o método. 3ª. edição. Tradução de Cezar Augusto Mortari. SP: Editora Unesp, 2007.

___. Matando o tempo: uma autobiografia. Tradução de Raul Fiker. SP: Editora UNESP, 1996.

Uma resposta

  1. Gostei muito dessa informação. Muito legal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s