PIC 2018-9

Embalado pela sua primeira iniciação científica, devidamente registrada aqui, o Gian decidiu submeter outro projeto: O caso de biossegurança “ARB e ARG” nas perspectivas da educação ecopolítica em bioquímica. Para ver o texto do projeto, clique aqui. Segue o resumo:

Este projeto de pesquisa tem como objetivo explorar as perspectivas da ecologia política na educação dos profissionais da bioquímica sobre o caso das bactérias resistentes a antibióticos (ARB) e dos genes responsáveis por esta resistência (ARG), um problema de biossegurança relativamente recente e que pode causar morte em massa. Com base na discussão desses fenômenos por autores como Bruno Latour, Michel Foucault e Donna Haraway, entre outros, pretende-se fazer um levantamento de fontes primárias e secundárias relacionadas a esse assunto nas biociências, bem como uma análise preliminar. De acordo com o que for encontrado nesse levantamento, este projeto também pode vir a se aproximar de estudos de caso, situações reais que envolvem a ciência, a educação ecológica e as sociedades políticas em torno de práticas sistemáticas estudadas com base nessas concepções. A pesquisa se sustenta na hipótese de que, caso desfeita a separação entre ecologia política e ecologia científica, poderão ser despertadas novas práticas para a educação em bioquímica no Brasil de modo a melhorar os preparos dos profissionais destas áreas para lidarem com problemas seríssimos de biossegurança, como aqueles oferecidos por ARB e ARG, que demandam atitudes emergenciais. Ao refletir sobre as rápidas modificações que as estruturas humanas podem sofrer, além das que já têm sofrido nas últimas décadas, esta pesquisa contribui para uma análise crítica acerca do papel da bioquímica e da educação sócio-política nas sociedades contemporâneas.