Arquivos de Tag: kuhn

Pérolas dos alunos: Vivian

Vivian Fuguhara de Lima – aluna de Biomedicina/2018

O paradigma na literatura

A obra A estrutura das revoluções científicas, escrita pelo físico e filósofo Thomas Kuhn e publicada em 1962, faz uma análise sobre a história da ciência apresentando uma série de conceitos, dos quais um dos mais importantes é o paradigma, que pode ser retratado no conto “Ideias do canário”, de Machado de Assis. Assim, o presente texto visa desenvolver uma reflexão acerca do conto e dos principais conceitos presentes na obra de Kuhn, e também relacionar a narrativa machadiana com a ideia exposta pelo filósofo estadunidense.

Continuar Lendo →

Pérolas dos alunos – Ana Luiza

Ana Luiza de Paula Vasconcelos – aluna de Biomedicina/2018

Os paradigmas no canário kuhniano

O conto “Ideias do canário”, de Machado de Assis, conta a história de Macedo, um estudioso da ornitologia que conversa com um canário adquirido em uma loja de belchior. Já o livro A estrutura das revoluções científicas, escrito por Thomas Kuhn, propõe uma nova perspectiva para a ciência e traz conceitos e ideias que podem ser comparados com o texto machadiano. Os principais conceitos kuhnianos e as comparações com o conto serão apresentados no decorrer desta dissertação.

Continuar Lendo →

Pérolas dos alunos – Amanda

Amanda Beatriz Kawano Bakosh - aluna de Bioquimica/2016

Amanda Beatriz Kawano Bakoshi – aluna de Bioquimica/2016

Um voo através dos paradigmas

Machado de Assis escreveu o conto “Ideias do canário”, o qual conta a história de Macedo, um estudioso de ornitologia, que conversa com um canário que encontrou em uma loja de belchior. Já Thomas Kuhn escreveu A estrutura das revoluções científicas, obra que propõe um novo olhar para a ciência, e apresenta conceitos e ideias que podem ser pensados junto com o conto de Machado de Assis; isso pode ser feito explicando os conceitos de Kuhn, e depois relacionando-os com a história do canário, de modo a identificar a semelhança entre as duas histórias, deixando evidente como o conto pode ilustrar o conceito de paradigma.

Continuar Lendo →

Pérolas dos alunos – Beatriz

Beatriz Vesco Diniz_biomedicina_2016

Beatriz Vesco Diniz – aluna de Biomedicina/2016

O canário kuhniano

Thomas Kuhn trouxe, com A estrutura das revoluções científicas, uma nova abordagem da ciência, causando novas reflexões sobre essa área tão valorizada pela sociedade. É possível estabelecer uma ligação entre as ideias de Kuhn e o conto “Ideias do Canário”, de Machado de Assis, e é este o objetivo da dissertação que se segue: analisar o conto machadiano, relacionando-o com os conceitos de Kuhn, através de uma síntese de ambos e posteriormente estabelecendo a ligação entre eles.

Continuar Lendo →

Quarto encontro do GP – Academia Celeste

El cielo de Salamanca

El cielo de Salamanca

Primeiro Stellium da Academia Celeste

Contra o Método: panorama geral das diferenças

contraMetodo

 Capa da publicação brasileira da terceira e definitiva edição de Contra o método. Tradução de Cezar Augusto Mortari, publicada pela Editora Unesp em 2007.

O trabalho da Oficina Contra o Método ainda não acabou, mas já temos uma visão geral das diferenças entre a primeira e a terceira edições, que serão aqui relatadas sem pormenores.

Continuar Lendo →

Representar e intervir II

RepresentingandIntervening

A primeira parte do livro começa discutindo o realismo científico (p. 81-93), mapeando os realismos e antirrealismos de teorias e de entidades. Diante dessa empreitada, é feita uma reclassificação entre realistas e antirrealistas de toda a tradição da filosofia da ciência. É possível ser realista de teorias sem ser realista de entidades. Russel, por exemplo, é enquadrado como realista de teorias e antirrealista de entidades, já que não problematizava a possibilidade de alcançar a verdade por meio das teorias, mas tratava as entidades inobserváveis como construções lógicas. Hacking, por sua vez, se declara um realista científico de entidades e diz que, para ele, só no nível da experimentação se pode ter certeza da existência de entidades teóricas não observáveis. É o chamado argumento experimental: “se você pode bombardeá-los [elétrons e pósitrons], então eles são reais” (p. 84).

Continuar Lendo →

Hacking e Kuhn

structureKuhn

Edição de 50 anos de aniversário da Estrutura de Kuhn.

O prefácio foi escrito pelo Hacking.

Há uma resenha sobre esse prefácio aqui.

Para dar uma olhada no livro, clique aqui.