Pérolas dos alunos: Vivian

Vivian Fuguhara de Lima – aluna de Biomedicina/2018

O paradigma na literatura

A obra A estrutura das revoluções científicas, escrita pelo físico e filósofo Thomas Kuhn e publicada em 1962, faz uma análise sobre a história da ciência apresentando uma série de conceitos, dos quais um dos mais importantes é o paradigma, que pode ser retratado no conto “Ideias do canário”, de Machado de Assis. Assim, o presente texto visa desenvolver uma reflexão acerca do conto e dos principais conceitos presentes na obra de Kuhn, e também relacionar a narrativa machadiana com a ideia exposta pelo filósofo estadunidense.

No livro em questão, Kuhn apresenta a ideia de que é necessário olhar para história para entender o que é ciência, vendo inclusive como ela se faz agora, ou seja, considerar a prática e os acordos da comunidade científica – as pessoas que estão fazendo ciência. Nesse contexto, o filósofo estrutura um pensamento formado pelos conceitos de revolução científica, paradigma, ciência normal, anomalia e quebra-cabeças. Para ele, o que caracteriza a ciência é a constituição de um paradigma, que é um modelo, uma representação, uma interpretação de mundo reconhecida e que fornece problemas e soluções modelares para uma comunidade científica durante um determinado tempo, orientando a prática científica. Essa prática, que se denomina ciência normal, caracteriza-se pela resolução de quebra-cabeças, que são problemas produzidos dentro do paradigma, que podem ser resolvidos no seu contexto e que vão se acumulando. No entanto, a qualquer momento pode ocorrer uma crise, normalmente causada pelas anomalias – problemas que não estavam previstos pelo paradigma ou quebra-cabeças que de certa maneira se transformaram em anomalia. Assim, a comunidade científica se junta para resolver o mais rápido possível a crise, o que nem sempre é possível, podendo produzir uma revolução científica. Então um novo paradigma se estabelece a partir dela, com uma nova ciência normal, novos quebra-cabeças e o progresso acumulativo volta a acontecer – um processo de aglomeração dos quebra-cabeças resolvidos durante a construção da ciência.

Já em “Ideias do canário” é apresentado um homem – Macedo – que por acaso entrou em uma loja de belchior e acabou por se deparar com um canário que falava. Surpreso, ele questiona o pássaro: “Que pensas deste mundo? Que cousa é o mundo?”; e este responde que é uma loja de belchior. Então o homem leva o canário para sua casa e, passado um tempo, volta a repetir a pergunta, e a resposta foi de que o mundo é um jardim assaz largo com repuxo no meio e um pouco de azul por cima. Em dado momento o pássaro foge e, quando Macedo o reencontra, questiona novamente o que era o mundo e o canário responde: “[…] é um espaço infinito e azul, com o sol por cima.” Percebe-se que, no conto, o mundo muda a cada lugar que o canário mora, e ele não se lembra do momento anterior, então, enquanto ele está solto, ele não se lembra de quando estava na gaiola, na loja e na casa do homem

Nota-se que se pode relacionar o conto com a ideia de paradigma: a cada momento, em condições diferentes, tem-se uma interpretação de mundo diferente – um modelo distinto – e as anteriores são esquecidas, ou seja, não se acumulam, igual aos paradigmas de Kuhn. Também se pode identificar a retratação do conceito de revolução científica – mudanças de casas (loja de belchior, casa do Macedo e livre) – e de anomalia – sair da loja e fugir da casa do homem. Destarte, é possível concluir que a narrativa do Machado de Assis consegue ilustrar muito bem o conceito de paradigma de Thomas Kuhn.

Referências

KUHN, Thomas. A estrutura das revoluções científicas. Tradução de Beatriz e Nelson Boeira. SP: Perspectiva, 1996.

MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Ideias do canário. In: ___. Páginas recolhidas. SP: W. M. Jackson Inc. Editores, 1957.

*************************************************

O texto da Vivian foi produzido a partir da seguinte questão:

Em que sentido o conto “Ideias do canário”, de Machado de Assis, pode ilustrar o conceito de paradigma, proposto por Thomas Kuhn em A estrutura das revoluções científicas? Escreva um texto que articule a sua reflexão sobre o conto e os principais conceitos (paradigma, revolução científica, anomalia, ciência normal e quebra-cabeças) que se encontram na obra de Kuhn.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s