Arquivos de Categoria: Seminários Feyerabend

Nova publicação: o lugar epistemológico da astrologia

O livro acabou de ser lançado e tem um capítulo meu: “Ciência e sociedade no contexto de ‘O estranho caso da astrologia’ de Paul Feyerabend”. Para adquirir o e-book, visite o site da editora. A tiragem no papel foi bem pequena, mas talvez seja possível conseguir algum exemplar com a organizadora do livro, Clarissa de Franco (e-mail: clarissadefranco@hotmail.com).

Publicação nossa sobre Feyerabend

O artigo se chama “Ciência e arte nas estratégias argumentativas de Paul Feyerabend” e se baseia na tese da Francine. Clique na imagem para ir até o site da revista e ver ou baixar o artigo.

Tese da Francine

Orgulho geral!!! A tese já está depositada na biblioteca.

 

Seminários Feyerabend: Adeus à Razão

Nossos seminários de 2018 serão em torno deste livro de Paul Feyerabend: Adeus à Razão. Publicado originalmente em 1987, esse livro foi traduzido entre nós por Vera Joscelyne e publicado pela Editora Unesp em 2010.

Como Feyerabend diz na introdução, trata-se de um conjunto de ensaios sobre a diversidade e a mudança na cultura. O longo primeiro capítulo tem quase 100 páginas e se chama “Notas sobre o relativismo”. A ele se seguem mais onze, todos igualmente instigantes, mas com extensões bem menores.

Foi nesse livro que vi pela primeira vez, há muito tempo, a tão eloquente expressão “admirável monotonia nova”, que aparece no penúltimo capítulo. Inspirado evidentemente em Huxley, Feyerabend nos conduz ao seu pluralismo contrapondo-o à mesmice das tentativas de uniformização e padronização da chamada cultura ocidental.

Jornada Feyerabend

Este é o livro póstumo de Paul Feyerabend. Inacabado, o livro foi cuidadosamente editado por sua esposa, Grazia Borrini-Feyerabend, e seu amigo, Bert Terpstra, e publicado originalmente em 1999. Entre nós, a tradução de Cecilia Prada e Marcelo Rouanet, com a revisão técnica da querida professora Anna Carolina Regner, saiu em 2006 pela Editora Unisinos.

Além do manuscrito inacabado de Feyerabend, que compõe a primeira parte do livro, os editores fizeram uma seleção de 12 artigos e ensaios relacionados com o que foi tratado no manuscrito pelo autor. De maneira geral, podemos dizer que aqui Feyerabend trata da questão do realismo, encaminhando-a pela sua permanente discussão com a tirania dos universais, que já se pode perceber no subtítulo: “Uma história da abstração versus a riqueza do ser”.

Esta semana faremos uma Jornada Feyerabend dedicada a esse livro na sexta-feira, dia 23 de junho de 2017, começando às 10h na sala 223 do bloco I-12. Participe!

Em construção

Confiram lá este novo periódico! Além de textos maravilhosos dos amigos – inclusive uma resenha da Francine sobre o último livro de Paul Feyerabend -, há lá um artigo meu sobre autoria científica, uma tradução que fiz da introdução do livro Ciência como arte (Wissenschaft als Kunst), de Feyerabend, e um texto que preparei sobre a entrevista que ele deu em 1993.

Seminários Feyerabend: A ciência em uma sociedade livre

Feyeraben_cienciaLivre

Os seminários deste ano giram em torno de A ciência em uma sociedade livre, de Paul Feyerabend. Esse livro foi escrito ainda nos anos 1970, mas depois da primeira edição de Contra o método (clique aqui para ver o registro da nossa atividade Oficina Contra o Método). Só recentemente foi traduzido no Brasil por Vera Joscelyne e publicado pela Editora da Unesp em 2011. Nesse livro, Feyerabend enfatiza a relação entre ciência e sociedade, tão cara aos science studies, que, no entanto, parecem não explorar essa relação até as últimas consequências como ele.