A recepção do darwinismo no Brasil

recepcaoDarwinismo

Este livro, publicado em 2003 pela Editora da Fiocruz e organizado por Heloisa Maria Bertol Domingues, Magali Romero Sá e Thomas Glick, foi objeto dos primeiros encontros do nosso Clube de Revista, que se iniciou no segundo semestre do corrente ano.

Escolhemos essa obra em função das leituras de Darwin que temos feito e do PIBIC da Isadora e do Vitor, que trata da recepção do darwinismo da UEM. Precisávamos contextualizar essa recepção local no âmbito nacional.

O livro é muito bom, instrutivo e esclarecedor, apesar de nos mostrar a versão tupiniquim da triste trajetória da teoria da evolução por seleção natural que, recebida em ambientes conservadores e mesclada com outras vertentes, como as de Haeckel, Spencer e Galton, acabou produzindo variantes enviesadas e nada elogiáveis, como o darwinismo social e a eugenia.

Há duas resenhas do livro aqui e aqui. Você pode visitar o nosso Dropbox onde elas se encontram e cujo link está aí ao lado na Lista de Links. Há lá uma pasta Darwin&cia e uma subpasta RecepcaoDarwin, na qual se acha também o próprio livro, que anda esgotado até na Estante Virtual. Nesse espaço compartilhamos outros textos sobre o assunto e continuaremos a fazê-lo, tendo em vista que essa atividade seguirá no ano que vem com outras fontes.

Só para dar uma ideia, além do prefácio (assinado por Henrique Lins de Barros), da apresentação feita pelas organizadoras, Heloisa Maria Bertol Domingues e Magali Romero Sá, e da introdução do outro organizador, Thomas Glick, o livro conta com sete artigos:

1. Fritz Müller e a comprovação da teoria de Darwin – Nelson Papavero

2. O evolucionismo na produção científica do Museu Nacional do Rio de Janeiro (1876-1915) – Regina Cândido Ellero Gualtieri

3. Controvérsias evolucionistas no Brasil do século XIX – Heloisa Maria Bertol Domingues e Magali Romero Sá

4. Virchow e os sambaquis brasileiros: um evolucionismo antidarwinista – Luiz de Castro Faria

5. A Fundação Rockefeller e a emergência da genética no Brasil (1943-1960) – Thomas Glick

6. O espetáculo da miscigenação – Lilia Moritz Schwarcz

7. O positivismo brasileiro na sombra do darwinismo: o grupo Idéia Nova em Desterro – Thomas Glick

REFERÊNCIA:

DOMINGUES, H. M. B.; SÁ, M. R.; GLICK, T. (Orgs.) A recepção do darwinismo no Brasil. RJ: Editora Fiocruz, 2003.

Uma resposta

  1. Gostei muito do livro e das leituras coletivas. Excelente para debates!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s