Errata do livro Representar e intervir

bilhete

Antes de mais nada, quero parabenizar o meu amigo, prof. dr. Pedro Rocha de Oliveira, pela corajosa tradução desse livro. O texto flui, reflete o estilo amiúde irônico do Hacking e algumas soluções foram realmente excelentes. Como sabemos, no entanto, os textos são por definição inacabados, quer sejam autorais ou tradutorais, e uma revisão a mais nunca é demais. Por isso, seguem algumas anotações que fizemos ao longo dessa leitura:

1) No índice analítico (p. 53), por uma questão de padronização, em vez de “Parte A: Representação”, leia-se “Parte A: Representar”.

2) No segundo parágrafo da seção “Ciência normal” da Introdução (p. 66), em vez de “concertada”, leia-se “consertada”.

3) No segundo parágrafo da seção “Racionalidade e realismo científico” da Introdução (p. 77), em vez de “mas não faço isso seguindo a linha de Laudan”, leia-se “mas isso não está em conflito com Laudan”.

4) Na primeira linha da p. 103, em vez de “sucedemos na formulação da ideia”, leia-se “somos bem-sucedidos”.

5) No primeiro parágrafo do capítulo “Pragmatismo” (p. 127, linha 11), em vez de “contratando”, leia-se “contratou”.

6) Na quarta linha do primeiro parágrafo da seção “Dissociação” do capítulo “Incomensurabilidade” (p. 140), em vez de “ininteligível”, leia-se “inteligível”.

7) Na quarta linha do terceiro parágrafo da seção “Gatos e cerejas”  do capítulo “Realismo interno” (p. 179), em vez de “conjuntos finitos”, leia-se “conjuntos infinitos”.

8) No item 8 da seção premissas do capítulo “Realismo interno” (p. 184), em vez de “Putnam não atenta à questão”, leia-se “Putnam lida com a questão”.

9) No último parágrafo da seção “Núcleos duros e cinturões protetores” do capítulo “Um substituto para a verdade” (p. 197), em vez de “a verificação é tão importante para a ciência”, leia-se “a verificação parece ser tão importante para a ciência”.

10) No último parágrafo da seção “Limitando a metáfora” do capítulo “Pausa: reais e representações” (p. 216), em vez de “sentenças complicadas para representar complexas”, leia-se “sentenças complicadas para representar”.

11) Na quinta linha do último parágrafo da introdução do capítulo “Experimento” (p. 236), em vez de “é iniciar”, leia-se “iniciar”.

12) No capítulo “Experimento”, na antepenúltima linha da p. 247, em vez de “benfeita”, leia-se “bem-feita”.

13) No capítulo “Observação”, na quinta linha de baixo para cima na p. 276, em vez de “acabou deixando por escrever”, leia-se “acabou por escrever”.

14) Na penúltima linha da p. 282 do capítulo “Microscópios”, em vez de “consegue duplica”, leia-se “consegue duplicar”.

15) No primeiro parágrafo da seção “Teoria e os fundamentos da crença” do capítulo “Microscópios”, em vez de “velhos artesão”, leia-se “velhos artesãos”.

16) No capítulo “Microscópios, na sétima linha do quarto parágrafo da seção “O microscópio acústico” (p. 302), em vez de “Para o biólogo, os prospectos também são interessantíssimos”, leia-se “Para o biólogo, as possibilidades são interessantíssimas”.

17) No capítulo “Microscópios”, na segunda linha da seção “Realismo científico” (p. 247), em vez de “benfeito”, leia-se “bem-feito”.

18) Em vez de “celestial”, leia-se “celeste” (p. 312, 321).

19) Em vez de “borgesiana”, leia-se “borgiana” (p. 318, 326).

20) Na primeira linha do capítulo “Medição” (p. 332), em vez de “inspetores babilônios”, leia-se “investigadores babilônios”.

21) Na segunda linha do segundo parágrafo do capítulo “Medição” (p. 332), em vez de “nos dar o luxo de”, leia-se “nos dar ao luxo de”.

22) Na seção “O ajuste dos quadrados mínimos” do capítulo “Medição”, na segunda linha do terceiro parágrafo (p. 342), na quarta linha da citação (p. 343) e na primeira linha do quinto parágrafo (p. 343), em vez de “ajuste do mínimo de quadrados” e “combinação do mínimo de quadrados”, leia-se “ajuste dos quadrados mínimos”.

23) Na seção “A formiga e a abelha” do capítulo “Tópicos baconianos” (p. 350, antepenúltima linha), em vez de “pela da refutação”, leia-se “pela refutação”.

24) Na última linha da seção “Exemplos de Bacon” do capítulo “Tópicos baconianos” (p. 355), em vez de paços, leia-se “passos”.

25) Na última seção do último capítulo, em vez de “correspondência como o mundo”, leia-se “correspondência com o mundo” (p. 383, linha 6).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s